29/04/20 15:20

Entidades seguem cobrando da Caixa medidas de proteção para trabalhadores e população

 

agencia-benfica.jpeg

Agência Benfica, em Fortaleza: Rochael Sousa, presidente da Apcef Ceará, e
Valnei Carneiro, presidente da Agecef Ceará.
   

Em meio à pandemia do novo coronavírus, os empregados da Caixa têm se desdobrado para atender milhões de brasileiros que dependem do Auxílio Emergencial para sobreviver. Com filas imensas na porta das agências e pessoas aglomeradas, o cenário tem exposto trabalhadores e população ao risco de contaminação pelo COVID-19. O Comando Nacional dos Bancários e a Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa estão em constante negociação com a direção do banco em busca de medidas de proteção para todos.

Campanha de Comunicação

A representação dos trabalhadores aponta que uma das principais causas de aglomeração é a falta de informação sobre o pagamento do auxílio. Por isso uma das reivindicações mais cobradas nas reuniões com o banco é uma campanha de comunicação para orientar a população a não ir às agências e de como conseguir se cadastrar para receber o auxílio.

Além de estar responsável pela operação de pagamento do Auxílio Emergencial, a Caixa segue operando outros programas sociais e benefícios previdenciários do governo – o que aumentou drasticamente o volume de trabalho dos já sobrecarregados empregados do banco. “Como banco público, o papel da Caixa é ainda mais importante nesse momento, por isso estamos sendo incisivos nas negociações para garantir os direitos e a saúde dos trabalhadores e dos clientes”, afirma Rochael Sousa, presidente da Apcef Ceará.  

MPs 927 e 936

Em reunião nesta terça-feira (28/04), por videoconferência, os representantes dos bancários cobraram o compromisso dos bancos de não adotar as medidas provisórias 927 (que flexibiliza as leis trabalhistas durante a pandemia do novo coronavírus) e a 936 (que trata do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda) sem negociação prévia com o movimento sindical. Os bancos aceitaram que para qualquer modificação do que está sendo feito agora, será convocada uma nova mesa de negociação.

Ultratividade da CCT

Na mesma reunião, os bancários também voltaram a cobrar a ultratividade dos direitos garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, que vence em ‪31 de agosto de 2020. A ideia é que os direitos da categoria sejam mantidos até que haja a assinatura de uma nova CCT, dada a necessidade de suspensão das conferências regionais, estaduais e nacional, além dos congressos e encontros específicos dos trabalhadores de cada banco, para evitar aglomerações e a propagação da doença. Por fim, o Comando cobrou e Fenaban concordou em manter as medidas negociadas e que não haverá retorno sem passar pela mesa de negociação.

Outras reivindicações

Nas últimas reuniões desta semana, os empregados cobraram ainda:  manutenção do rodízio semanal; contratação de segurança desarmado para organizar as filas; garantia das proteções de acrílico nos caixas e equipamentos de proteção individual (EPIs) para todos os empregados; e disponibilização de testes para trabalhadores em caso de suspeita de contaminação.

Adesão voluntária

A Caixa ainda garantiu que a adesão voluntária não excluirá o rodízio e também que não será permitida qualquer pressão dos gestores para a adesão ao site queroatender.caixa, no qual as equipes podem se inscrever para voltar fisicamente ao trabalho, garantindo que a inscrição seja totalmente voluntária. Os representantes dos empregados reivindicaram que esse sistema seja utilizado apenas nas agências que necessitam para manter o rodízio e só no período específico de necessidade.

Saúde Caixa

Depois de mais uma cobrança do movimento sindical, em ofício enviado no dia 25 de março, a Caixa marcou uma reunião para esta quarta-feira (29), na qual trará uma proposta de “Saúde Caixa para Todos”, antiga reivindicação dos empregados, que ganhou força durante a crise do coronavírus.

 Auxílio emergencial

O saque será escalonado, seguindo o calendário abaixo:

27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro
28 de abril – nascidos em março e abril
29 de abril – nascidos em maio e junho
30 de abril – nascidos julho e agosto
04 de maio – nascidos em setembro e outubro
05 de maio – nascidos em novembro e dezembro.

Este calendário de saques é para as pessoas que receberam por meio da conta digital aberta pelo banco.

 

 

Compartilhe