08/03/21 09:01

8 de março: dia de reflexão política sobre as conquistas das mulheres

diadamulher - messejana.jpeg
Agência Messejana: Apcef CE entrega brindes especiais para associadas que estão na linha de frente.

O Dia das Mulheres é comemorado mundialmente em 8 de Março para celebrar e reafirmar as lutas históricas por direitos, respeito e liberdade. São inúmeros desafios que ainda permeiam a vida das mulheres e a data ajuda a aprofundar este debate, colocando em pauta na sociedade as demandas urgentes sobre igualdade de gênero. É um dia de reflexão política.

Os direitos que as mulheres têm hoje foram conquistados a partir de muita mobilização. É preciso resistir diariamente para preservá-los e para avançar cada vez mais. Para engrandecer esta luta, a Fenae e as Apcefs irão celebrar o Dia da Mulher com uma live especial da cantora Ana Cañas. O show acontecerá hoje, dia 8 de março, às 20h, diretamente pelo Facebook e Youtube da federação.

Com o mote Mulheres na Linha de Frente Mudam o Mundo, as entidades convidam todos, em especial as empregadas da Caixa, para participarem desta celebração. Em um ano de pandemia, o papel da mulher, em destaque aquelas chefes de família, ficou ainda mais evidente e mostrou o quanto a sociedade brasileira ainda precisa evoluir em questões de gênero e desenvolvimento social.

"Escolhemos esse tema buscando valorizar todas as mulheres que estão, durante todo esse tempo, na linha de frente do combate à pandemia. Queremos homenagear todas, inclusive a bancária da Caixa que está atendendo os brasileiros nesta crise. Entendemos que todas as mulheres juntas mudam o mundo e o 8 de março é um dia de reflexão, de organização e mobilização para tentarmos mudar nossa realidade onde as mulheres ainda sofrem com a desigualdade", ressaltou a diretora de Políticas Sociais da Fenae, Rachel Weber.

Na pandemia da Covid-19, foram muitos os papéis importantes desempenhados pelas mulheres. São incontáveis as mulheres que estão na linha de frente para diminuir os impactos da covid-19. Médicas, enfermeiras, cientistas, atendentes de supermercados, garis são alguns exemplos. E as mulheres da Caixa se somam a essas lutadoras. As mulheres da Caixa realizaram o atendimento a mais de 100 milhões de pessoas que passaram pelo banco público em busca do auxílio emergencial e outros benefícios ofertados na pandemia. E são elas que continuarão atuando para manter a Caixa pública e para todos.

Compartilhe